Ter propósito na empresa é fundamental

Saber de onde vem, mas principalmente saber para onde vai. Esse deve ser o objetivo de todo empresário. Mais do que acreditar em seu produto e ter critérios rigorosos na produção ou na execução do serviço, é fundamental saber o propósito do mesmo. Mais do que vendê-lo, é necessário acreditar no mesmo.

Há alguns empresários que acreditam que não possuem nenhum propósito, seja de vida ou empresarial. Outros utilizam nomes variados como objetivo, finalidade, visão ou missão… Propósito é a razão fundamental por trás da sua existência, é uma declaração definitiva sobre a diferença do que você está tentando fazer no mundo.

A fim de explicar, visão é o seu “Onde?”, seu destino final, é a meta a qual você quer alcançar, os impactos que você quer causar, como você quer ser visto quando chegar ao seu destino. Já a missão é o seu “Como?”, a estratégia que você vai utilizar para oferecer o seu propósito para o mundo. É o veículo que lhe carrega até o seu destino final.

Segundo o publicitário americano Joey Reiman, em entrevista a revista Exame, mais do que identificar o propósito, o empresário preciso lucrar com isso. “O propósito pode ser definido como um modo único e autêntico por meio do qual sua marca fará a diferença no mundo. É um conceito transformador para o profissional de branding”, ressaltou.

Ele comenta que uma empresa com propósito não pensa apenas em seus clientes, mas também em seus funcionários, colaboradores e na sociedade como um todo. Segundo o publicitário, uma pergunta que sempre devemos fazer aos clientes é: o que o mundo perderia caso a empresa deixasse de existir?

Joey ressalta que o propósito dá um significado maior à existência da empresa. “Um exemplo hipotético é o de uma fábrica de salgadinhos que tem o propósito de ajudar a combater a depressão infantil. Isso cria um significado maior para sua existência e estimula as vendas”, declarou à revista Exame.

Geração de Valor

Mas como definir um propósito?

Não existe uma fórmula definitiva. Afinal, ele é o seu propósito. É uma questão muito íntima e subjetiva, com a qual cada um tem seu próprio jeito de lidar. Às vezes o propósito surge por eliminação; às vezes já temos a certeza desde a mais tenra idade; às vezes o propósito surge por inspiração de alguém que você admira.

Porém, conforme o coach Charles Gallo existe alguns critérios que auxiliam na escolha de um propósito. O primeiro passo é saber: Qual a real razão da existência da sua empresa?; Quais são os princípios e crença que trazem motivação e razão para entrar em ação todos os dias?; Por que estamos fazendo isso?

Tendo essas respostas em mente é possível passar para os critérios de fato. Vale lembrar que o um propósito traz a sensação de pertencer a algo maior, proporciona lealdade, força para superar pressões e é um catalisador de ação. E é nesse quesito que o empresário precisa focar para definir o seu.

  •         Nunca é um objetivo
  •         Um sentimento que vem do coração e não da mente
  •         São grandes e inspiradores
  •         Passar um sentimento agradável
  •         Refere a contribuir com pessoas e/ou sociedade, financeiro é consequência.
  •         Gerar uma emoção que proporciona aquele efeito. Ahá!
  •         Fácil de compartilhar
  •         Expresso em poucas palavras

De acordo com os especialistas da Endeavor, é somente ao descobrir o seu propósito que o empresário poderá realmente oferecer algo ao mercado, diferenciando-se daqueles que apenas querem alguma coisa dele. Afinal, ter um propósito é ter algo a entregar de fato aos seus clientes.

Um propósito bem definido é a peça chave. Pois assim fica muito mais fácil promover uma oferta de valor para o mercado, porque você conseguirá transmitir confiança naquilo que oferece. Se algum cliente não quiser, sem problema; outro há de querer. Assim, a prosperidade financeira será mera consequência destes valores intangíveis que você oferece.

Alexandre Teixeira

Dica de leitura

Quem quer ir mais afundo sobre o assunto, pode procurar o livro “De dentro para fora: como uma geração de ativistas está injetando propósito nos negócios e reinventado o capitalismo”, do jornalista Alexandre Teixeira, que também é autor do livro Felicidade S.A. (falamos dele neste post aqui).

Na obra, o autor cita exemplos de empreendedores que lutam para conciliar lucro e justiça social, competição e espiritualidade, eficiência e bem estar; enfim, como procuram um caminho mais sustentável e um sentido mais profundo sem abandonarem o mercado. O texto pode ser muito inspirador neste momento em que você talvez busque seu próprio propósito.

Gostou do nosso conteúdo? Quer receber em primeira mão? Cadastre-se ao lado!

Com informações:

A propósito: você sabe aonde quer chegar?

As empresas precisam de um propósito

8 Critérios chaves para criar um propósito vencedor para sua empresa?

De dentro para fora

Gente feliz trabalha melhor

Dartagnan Costa

Advogado OAB/RS 72.784
Diretor na empresa Dartagnan & Stein Sociedade de Advogados, atuando no Estado do Rio Grande do Sul.
Bacharel e Mestre em Direito pela Universidade de Santa Cruz do Sul
Especialista em Direito Tributário pela Universidade Cândido Mendes
Especialista em Direito Empresarial do Trabalho pela Universidade Cidade de São Paulo
MBA em Direito da Economia e da Empresa pela Fundação Getúlio Vargas

Deixe uma resposta