Gente feliz trabalha melhor

“Escolha um trabalho que você ame e você nunca terá que trabalhar um dia em sua vida”. Essa frase do pensador e filósofo chinês Confúcio (551 a.C. a 479 a.C) é muito difícil de colocar em prática. Viemos de uma geração preocupada em trabalhar para conquistar dinheiro e dar uma “vida boa” para a família, que esqueceu de viver.

Segundo o jornalista Alexandre Teixeira, no livro Felicidade S.A. muitas pessoas continuam a trabalhar (só) por (mais) dinheiro – mesmo sem precisar. “Este é um erro que cometemos apesar da avalanche de estudos científicos que comprovam os limites da remuneração como promotora da felicidade”.

Conforme o psiquiatra e escritor Augusto Cury, trabalhar com alegria, dedicação e criatividade é um bálsamo para a vida, porém é preciso trabalhar para viver e não viver para trabalhar. “Algumas pessoas são workaholic, viciadas em trabalhar. Sonham, almoçam e respiram trabalho”, descreve em seu livro Dez leis para ser feliz.

Ele complementa na sua obra que as pessoas viciadas em trabalho têm tempo para tudo, menos para si m

esmas. “Não admitem a falência da empresa, mas pouco se importam com a falência de suas vidas. Livre-se de ser um viciado em trabalho! A não ser que queira ser o mais competente do cemitério”, ressalta o escritor, fazendo uma provocação.

Houve um tempo em que se acreditava muito na máxima de que o funcionário deveria vestir a camisa da empresa e que os problemas pessoais deveriam ficar do lado de fora da organização. Mas, a partir do momento em que as companhias lidam com indivíduos, devem considerar que seus profissionais não conseguem separar o lado profissional do sentimental.

“Colaboradores infelizes produzem 40% menos, e seu trabalho rende apenas o equivalente há dois dias úteis da semana. Isso, durante um mês, significa apenas oito dias de produção. E para uma empresa, isso resulta em bastante perda de produção e lucratividade”, explica José Roberto Marques, coach e presidente do Instituto Brasileiro de Coaching (IBC).

Em entrevista ao portal Carreira e Sucesso da Catho, que recruta profissionais nas mais diferentes áreas, o presidente do IBC completa e diz que a felicidade está em um bom relacionamento do chefe com os colaboradores, o que inclui estar atento ao desenvolvimento da equipe.

“Pelo menos uma vez por ano, o gestor tenha uma conversa com cada um de seus funcionários para observar quais são suas aspirações, o que aprenderam nos últimos doze meses, quais são seus objetivos dentro da corporação e de que forma a empresa poderá ajudá-lo no desenvolvimento de suas potencialidades e metas”, finaliza.

Afinal, o que é ser feliz?

Para Augusto Cury, ser feliz não é ter uma vida isenta de perdas e frustrações. É ser alegre, mesmo se vier a chorar. É viver intensamente, mesmo no leito de um hospital. É nunca deixar de sonhar, mesmo se tiver pesadelos. É dialogar consigo mesmo, ainda que a solidão o cerque.

É ser sempre jovem, mesmo se os cabelos embranquecerem. É contar histórias para os filhos, mesmo se o tempo for escasso. É amar os pais, mesmo se eles não o compreenderem. É agradecer muito, mesmo se as coisas derem errado. É transformar os erros em lições de vida.

Ser feliz é sentir o sabor da água, a brisa no rosto, o cheiro da terra molhada. É extrair das pequenas coisas grandes emoções. É encontrar todos os dias motivos para sorrir, mesmo se não existirem grandes fatos. É rir de suas próprias tolices.

É não desistir de quem se ama, mesmo se houver decepções. É ter amigos para repartir as lágrimas e dividir as alegrias. É ser um amigo do dia e um amante do sono. É agradecer a Deus pelo espetáculo da vida… Quais dessas características você possui?

Quem conquista uma vida feliz? Será que são as pessoas mais ricas do mundo, os políticos mais poderosos e os intelectuais mais brilhantes?

Não! São os que alcançam qualidade de vida no palco de sua alma. Os que se libertam do cárcere do medo. Os que superam a ansiedade vencem o mau humor, transcendem os seus traumas. São os que aprendem a velejar nas águas da emoção. Você sabe velejar nessas águas ou vive afundando?

 

Quer receber as atualizações em primeira mão e não perder nada? Cadastre-se ao lado!

 

Com informações:

Felicidade S.A.

Augusto Cury

Dez leis para ser feliz

Felicidade no trabalho

Instituto Brasileiro de Coaching

Dartagnan Costa

Advogado OAB/RS 72.784
Diretor na empresa Dartagnan & Stein Sociedade de Advogados, atuando no Estado do Rio Grande do Sul.
Bacharel e Mestre em Direito pela Universidade de Santa Cruz do Sul
Especialista em Direito Tributário pela Universidade Cândido Mendes
Especialista em Direito Empresarial do Trabalho pela Universidade Cidade de São Paulo
MBA em Direito da Economia e da Empresa pela Fundação Getúlio Vargas

Deixe uma resposta