Ergonomia garante mais saúde para colaboradores

Garantir a qualidade de vida, saúde e bem estar dos funcionários é um dos princípios básicos para a produtividade de uma empresa, o que não acontece em um ambiente tenso (leia mais aqui). Já trouxemos dicas para aumentar a produtividade em um ambiente de trabalho (veja aqui) e também destacamos que a prática de 5S (leia aqui) pode ser uma boa opção para isso.

Mas de nada adianta organizar a produtividade se os colaboradores não possuem saúde? Neste sentido, a aplicação da ergonomia nas empresas assegura o pleno funcionamento humano em seu local de trabalho. A ergonomia é a ciência que ajusta o trabalhador às condições laborais.

Com ajustes, muitas vezes simples, faz com que o empregado permaneça confortável, seguro e produtivo no exercício da função. Como consequência, a ergonomia também previne a ocorrência de acidentes e doenças do trabalho. Segundo especialistas, quando aplicados de maneira correta, contribuem para a diminuição do cansaço e evitam lesões físicas ao indivíduo.

A má postura e as lesões por esforços repetitivos, ao logo do tempo, causam diversos males que prejudicam e comprometem a saúde do trabalhador, impossibilitando, muitas vezes, que esse indivíduo permaneça executando a mesma função, em decorrência, por exemplo, de uma deficiência motora.

Conforme a Unimed Vales do Taquari e Rio Pardo, o estilo de vida que a maioria das pessoas leva atualmente, com longos períodos sentados, acabam sendo prejudiciais à saúde e não são recomendados. O trabalho diário nos faz ficar muitas vezes na mesma posição por muito tempo faz com que nosso movimento seja reduzido.

Cabe ao empresário, a utilização correta das técnicas de ergonomia, visando um meio ambiente favorável para a execução das tarefas. Para tanto, tais ações são baseadas na Norma Regulamentadora (NR-17) do Ministério do Trabalho e Emprego, que descreve as condições necessárias para os ambientes de trabalho.

Todd Warnock/Getty Images

Ginástica Laboral contribui para a qualidade do trabalho

Além de práticas ergonômicas, a Ginástica Laboral é uma ação que pode ser desenvolvida dentro das empresas, independente do tamanho ou ramo de atuação. Ela contempla exercícios leves e de curta duração. Pode ser realizada no próprio local de trabalho, em uma pausa de cerca de 10 minutos durante o expediente.

Os educadores físicos da Unimed VTRP explicam que cada trabalho é preciso ser avaliado. Para quem trabalha muito tempo sentado e ao computador, a linha de exercícios será alongamentos para pernas, mãos, pulsos e braços. Porém, se o trabalho for a maior parte do tempo em pé, o ideal é fazer exercícios que fortaleçam as pernas e alonguem a coluna.

Para se adquirir um efeito desejado, recomenda-se que a ginástica laboral seja realizada, no mínimo, três vezes por semana. Porém, o ideal é que ocorra diariamente, durante cerca de cinco minutos. Vale alongar o pescoço e as mãos, se espreguiçar, além de caminhadas pequenas, como buscar água ou ir ao banheiro.

Freepik

Benefícios da ginástica laboral:

Melhora a saúde e a qualidade de vida do trabalhador;

Proporciona sensação de bem-estar;

Aumenta a integração no ambiente de trabalho;

Reduz a sensação de fadiga;

Alivia o estresse;

Melhora a concentração;

Aumenta a produtividade;

Previne Lesões por Esforços Repetitivos (Ler) e Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho (Dort);

Reduz problemas relacionados a tensões musculares;

Contribui para a queda nos índices de faltas e afastamentos por lesões ou acidentes de trabalho.

 

Receba as atualizações em primeira mão cadastrando-se ao lado!

 

Com informações:

Produtividade: como aumentar em sua equipe?

Ambiente tenso não gera produtividade

Programa 5S: vale a pena implantar na empresa?

Os benefícios da ginástica laboral

Ginástica no Trabalho

Movimentar-se é fundamental para o corpo

Norma Regulamentadora (NR-17) – Ministério do Trabalho e Emprego

Dartagnan Costa

Advogado OAB/RS 72.784
Diretor na empresa Dartagnan & Stein Sociedade de Advogados, atuando no Estado do Rio Grande do Sul.
Bacharel e Mestre em Direito pela Universidade de Santa Cruz do Sul
Especialista em Direito Tributário pela Universidade Cândido Mendes
Especialista em Direito Empresarial do Trabalho pela Universidade Cidade de São Paulo
MBA em Direito da Economia e da Empresa pela Fundação Getúlio Vargas

Deixe uma resposta