Empresas necessitam consumir água de forma consciente

O Brasil é um país abençoado no que diz respeito a recursos hídricos. Temos uma grande quantidade de água em nosso território, mas, mesmo assim, possuímos algumas regiões que sofrem com a escassez ou falta de abastecimento. Por isso, é fundamental ter consciência e economizar esse importante recurso.

Fechar a torneira na hora de escovar os dentes, reduzir o tempo de banho, utilizar menos água na hora de lavar a louça são algumas das atitudes que podemos ter em casa. Alem de beneficiar o meio ambiente, teremos redução no valor da conta. Mas, e no ambiente de trabalho? Ali também é necessário controlar o desperdício!

Mais do que melhorar a questão econômica dentro do ambiente de trabalho, o empresário e seus funcionários estarão contribuindo para os itens 6 – água limpa e saneamento e também o item 12 – consumo e produção responsáveis, ambos dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (leia aqui), instituído pela Organização das Nações Unidas até 2030.

Uma das formas de promover o consumo consciente da água é com a prática de 5S (leia sobre o assunto aqui), uma vez que estipula o senso de limpeza e de consumo dentro das empresas. Vale lembrar que o exemplo de economia deve começar dos empresários, sejam eles os únicos proprietários ou possuam sócios. É justamente esse incentivo que precisa ser exercitado.

Para ajudar na tarefa de economia de água dentro da empresa, reproduzimos cinco dicas do Santander Negócios e Empresas, sobre consumo consciente de água. O material sugere mudanças internas para evitar ainda mais o desperdício esse recurso – e reduzir os gastos das empresas:

  1. Inspecione vazamentos

Vazamentos podem ser a principal fonte de desperdício de uma empresa. Por isso, a organização deve verificar, regularmente, se os equipamentos ou até mesmo alguns pontos da companhia – como torneiras do banheiro – estão prejudicando a economia na corporação. É preciso checar o hidrômetro com frequência e solicitar que os colaboradores avisem, caso encontrem algo de errado em seus processos.

  1. Reforme os banheiros

Se o banheiro da sua empresa não passa por uma reforma há anos, talvez esteja na hora de reconsiderar uma mudança. Substitua torneiras e descargas sanitárias antigas por modelos mais novos, além de serem eficientes, ajudarão a economizar água. Torneiras que funcionam em um sistema de pressão e descargas que possibilitam duplo acionamento devem ser consideradas.

  1. Reuse a água

Empresas usam muita água. É inevitável. Mas que tal praticar o reuso do líquido? A empresa pode reaproveitar o recurso para atividades que não precisam de água “totalmente limpa”, como lavagem de pátios, limpeza de equipamentos e irrigação de jardins. Captar água da chuva e tratá-la também é uma ótima opção: pode ser utilizada nas descargas do banheiro e também na limpeza.

  1. Tente a lavagem a seco

Se a sua empresa possui veículos, evitar lavá-los com mangueiras é uma boa solução. Uma mangueira pode gastar até 500 litros de água em apenas meia hora de atividade. Uma lavagem a seco pode reduzir – e muito – o consumo. A água também pode ser utilizada para limpeza em áreas da empresa, contate uma organização especializada em faxina ecológica, que conseguem limpar um escritório com apenas um balde de água.

  1. Crie campanhas de conscientização

A cultura de consumo consciente deve ser aderida por todos os funcionários para que o resultado seja eficiente. Trabalhe com comunicações e campanhas internas que estimulem a boa prática entre os colaboradores. Tudo o que aprendem no ambiente de trabalho, tendem a levar para a própria casa, impulsionando ainda mais a conscientização das pessoas ao seu redor sobre o tema.

Catho

Cadastre-se ao lado e não perca nenhuma atualização!

Com informações:

O consumo de água na sua empresa é consciente?

Em busca de desenvolvimento sustentável

Programa 5S: vale a pena implantar na empresa?

Dartagnan Costa

Advogado OAB/RS 72.784 Diretor na empresa Dartagnan & Stein Sociedade de Advogados, atuando no Estado do Rio Grande do Sul. Bacharel e Mestre em Direito pela Universidade de Santa Cruz do Sul Especialista em Direito Tributário pela Universidade Cândido Mendes Especialista em Direito Empresarial do Trabalho pela Universidade Cidade de São Paulo MBA em Direito da Economia e da Empresa pela Fundação Getúlio Vargas

Deixe uma resposta