Como o empresário deve lidar com as diferentes gerações?

Com o passar dos anos, as pessoas vão mudando. Mais do que aparência física, seus desejos e objetivos tornam-se outros. E assim acontece com as relações de trabalho, especialmente no perfil dos profissionais que compreendem os ambientes e o mercado de trabalho. Basta olhar para os nossos antepassados.

São quatro gerações distintas, convivendo juntas no mesmo ambiente. Todas elas competem por posições nas empresas, tendo cada uma atitudes, expectativas, hábitos e comportamentos diferentes. Mas como lidar com esse misto de gerações dentro de uma empresa? Para responder essa pergunta, é preciso conhecer cada uma delas.

  • Baby Boomers: nascidos entre 1946 e 1964, costumam ficar muitos anos em seus empregos – alguns tendo tido apenas um ao longo da vida – e demonstram forte ligação com o trabalho.
  • Geração X: nascidos entre 1965 e 1980, foram influenciados pela globalização, passam a valorizar mais a liberdade, a flexibilidade e a criatividade e são os primeiros a aprenderem a lidar com a tecnologia e a internet.
  • Geração Y ou Millennials: nascidos entre a década de 80 e o final dos anos 90, cresceram sob a influência da internet, por isso são ávidos por inovação, especialmente no ambiente de trabalho, e prezam muito pela qualidade da vida pessoal.
  • Geração Z: filhos da geração X, nascidos nos anos 2000, já começaram a fazer escolhas profissionais e são altamente conectados.

Conforme estudo apresentado pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), compreender essa diversidade e minimizar os possíveis conflitos tem sido um dos grandes desafios enfrentados pelos gestores que buscam criar ambientes cooperativos que estimulem os indivíduos a coordenar esforços e alcance os objetivos organizacionais.

O principal passo para que o ambiente empresarial permaneça harmonioso, saudável e produtivo é entender as diferenças. Afinal, cada tipo de perfil possui um pensamento e ideias sobre o mundo e o mercado de trabalho. Para isso, é fundamental se adaptar à maneira que o colaborador trabalha, a fim de extrair o seu melhor.

Para alguns empresários é preciso mudar o pensamento de que só existe uma forma pensar. Regras devem existir dentro das empresas a fim de que o ambiente permaneça harmonioso, mas é preciso entender que as pessoas são o principal ativo de uma empresa. Portanto, estabeleça metas alcançáveis para os funcionários a partir das características de sua geração.

peoplecreations/Freepik

Como lidar com as diferenças?

Após entender as diferenças entre as quatro gerações, a empresa deve começar a pensar em ações de conciliação entre cada uma delas. Partir do princípio de que opiniões diversas podem ser fundamentais para o progresso da organização é um diferencial. Para mediar essa situação, trouxemos algumas dicas do Santander Negócios e Empresas sobre o assunto.

  1. Formal x Informal: locais de trabalho costumam ser muito formais, por isso, gerações antigas tendem a se incomodar com a informalidade propostas pelas atuais. É papel da organização deixar claro a postura que espera de seus funcionários e o quão formal quer ser em seu posicionamento sempre procurando adequar os dois perfis. Ao mesmo tempo, a organização pode propor um ambiente mais informal, promovendo a interação entre os colaboradores.
  2. Meios de comunicação: como lida com diferentes públicos internos, uma empresa deve investir em diferentes meios de comunicação. Ou seja, se possui uma newsletter, também deve produzir um conteúdo impresso. Assim, todos os funcionários se sentirão representados, fazendo com que a comunicação seja ainda mais efetiva.
  3. Conheça seus funcionários: independentemente da geração, cada funcionário prefere se comunicar de uma maneira e trabalha de forma diferente. A empresa, especialmente o gestor, precisa conhecer o perfil de cada colaborador para descobrir como lidar com seu posicionamento.
  4. Estimule a interação: pense em iniciativas que farão com que os membros de cada geração interajam de forma positiva entre si. Quanto mais os funcionários pensarem que podem aprender com seu colega de trabalho, melhor. Além disso, traga assuntos atuais para as gerações mais antigas por meio de eventos ou treinamentos, fazendo com que mudem sua percepção em relação às novas gerações e sintam que também podem fazer parte da mudança.
  5. Trate o assunto de maneira aberta: a partir do momento em que os funcionários têm conhecimento sobre a diferença de valores entre as gerações, sua convivência fica muito mais amigável. Trabalhar o tema nas comunicações internas pode fazer com que muitos estereótipos sejam derrubados, fazendo com que cada geração entenda melhor a outra. Promover e estimular o respeito entre as partes é essencial nesse momento.

Cadastre-se ao lado e receba as atualizações em primeira mão!

Com informações

Como as diferentes gerações encaram o ambiente profissional

Como lidar com gerações diferentes no ambiente de trabalho

Dartagnan Costa

Advogado OAB/RS 72.784
Diretor na empresa Dartagnan & Stein Sociedade de Advogados, atuando no Estado do Rio Grande do Sul.
Bacharel e Mestre em Direito pela Universidade de Santa Cruz do Sul
Especialista em Direito Tributário pela Universidade Cândido Mendes
Especialista em Direito Empresarial do Trabalho pela Universidade Cidade de São Paulo
MBA em Direito da Economia e da Empresa pela Fundação Getúlio Vargas

Deixe uma resposta