Benefícios e salários atrativos incentivam os funcionários

Sabemos que um salário bacana é geralmente um dos maiores atrativos nos processos de seleção. Embora a taxa de desemprego tenha caído conforme dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o número de pessoas procurando oportunidades de trabalho ainda é elevado e a questão salarial levada em conta.

Conforme os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua), a massa de rendimento recebida por toda a população empregada subiu 1,3%, passando de R$ 183,6 bilhões para R$ 186,1 bilhões. Para o coordenador de Trabalho e Rendimento do IBGE, Cimar Azeredo, esse aumento é muito positivo para a economia do país.

“Essa massa de rendimento de trabalho maior movimenta a economia, pois você vai ter mais pessoas consumindo e, com isso, o mercado de trabalho pode entrar em um processo virtuoso, diferente do que a gente viu nos meses anteriores”, comenta em matéria divulgada no site do IBGE.

Mas assim como o salário é o grande indicativo, os benefícios contribuem para que ele permaneça na empresa. Porém, se você acha que oferecer mais benefícios do que os obrigatórios podem aumentar os custos da sua empresa, lembre-se: quanto mais os profissionais se sentirem valorizados, maior será a produtividade.

Conforme o Santander Negócios e Empresas, os benefícios extras também ajudam na fidelização dos profissionais, diminuindo o turnover da empresa – e os gastos com contratações – e aumentando, ainda, o desenvolvimento de talentos internos, que podem preencher cargos de liderança no futuro.

Mas afinal, você sabe quais benefícios são obrigatórios dentro de uma organização? O primeiro deles é o salário, que consiste em um valor acordado com funcionário, que deve ser, impreterivelmente, depositado todos os meses para o colaborador. O profissional deve receber um salário adicional, chamado de décimo terceiro, geralmente no final de cada ano.

Como os funcionários não podem gastar mais do que 6% do seu salário com despesas de transporte de casa até o trabalho, as empresas podem oferecer vale-transporte aos seus colaboradores. Por isso, a empresa pode descontar esse valor do pagamento e cobrir o restante.

Após completar um ano na empresa, o funcionário pode tirar férias remuneradas por um período de até 30 dias corridos. O profissional também tem o direito de receber o salário referente ao mês de férias adiantado. Com a nova reforma trabalhista, essas férias podem ser divididas em até três períodos (leia mais aqui).

O Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) corresponde a 8% do total da remuneração recebida pelo funcionário. O valor é depositado em uma conta bancária vinculada, à qual o trabalhador não tem acesso – o colaborador só poderá receber o dinheiro caso seja demitido ou em condições previstas em lei.

Se seus funcionários tiverem que trabalhar entre 22h e 5h da manhã, deverão receber um adicional noturno acrescido ao valor do seu salário. Além disso, a carga horária de trabalho pode ser de 12 horas diárias com 36 horas de descanso, respeitando o limite de 44 horas semanais (ou 48 horas, com as horas extras) e 220 horas mensais (leia mais aqui).

Freepik

Benefícios opcionais para os colaboradores

Reproduzimos do site do Santander Negócios e Empresas alguns benefícios que podem ser oferecidos pelos empresários aos seus funcionários. Lembrando que, quando o benefício tiver a contribuição do colaborador de forma financeira, ele pode ser cancelado a qualquer tempo. Se for sem custo, não pode ser retirado.

Vale-refeição: o vale só é obrigatório para organizações com mais de 300 funcionários; no entanto, empresas menores podem oferecer o benefício, no valor que optarem (de preferência, de acordo com os custos da região), para que o colaborador possa utilizá-lo com refeições ou lanches diários.

Vale-alimentação: a empresa também pode fornecer um vale-alimentação, que pode ser utilizado pelos funcionários para compras em mercados e padarias, por exemplo.

Assistência médica: as organizações podem oferecer diversas opções de planos de saúde, com coberturas maiores ou menores; planos empresarias costumam ser mais baratos do que os individuais, facilitando a contratação por parte da empresa.

Plano odontológico: funciona como a assistência médica, mas, nesse caso, o funcionário também tem acesso a tratamentos dentários.

Vale-cultura: benefício que pode ser dado em forma de dinheiro ou descontos, em que o colaborador consegue ter mais acesso a diversos serviços culturais; como descontos em cinema, por exemplo.

Bolsas de estudo ou descontos: nesse caso, a empresa se responsabiliza por cobrir os gastos de funcionários selecionados com cursos de graduação, pós, ou até mesmo cursos livres que colaborem com o desenvolvimento profissional do colaborador. A organização também pode firmar parcerias com instituições de ensino para obter descontos exclusivos para as equipes.

Day-off no dia de aniversário: consiste no profissional poder se ausentar da empresa no dia do seu aniversário ou em qualquer outro dia do mês do seu aniversário.

Horário flexível: cada vez mais solicitado por profissionais do mercado, o horário flexível é quando a empresa libera o funcionário a cumprir suas horas diárias a partir do melhor horário que se adeque à rotina do colaborador. Por exemplo, se o expediente de uma empresa começa às 8h da manhã, mas um colaborador leva seu filho esse horário para escola, o profissional pode passar a entrar às 9h da manhã. Outra forma de oferecer horário flexível é compensando horas ao longo da semana para que, de sexta-feira, o profissional possa sair mais cedo do trabalho.

Home office: outra prática cada vez mais valorizadas por profissionais; representa o funcionário poder trabalhar remotamente, da própria casa ou de onde escolher, ao menos uma vez por semana. Algumas funções, inclusive, podem ser todas realizadas remotamente, sem a necessidade de o colaborador frequentar o local de trabalho diariamente. (Leia mais sobre home office e horário flexível aqui)

 

Gostou do assunto? Sabia tudo em primeira mão cadastrando-se ao lado!

Com informações:

Trabalho informal faz desemprego cair

Sua empresa oferece os benefícios certos aos funcionários?

Investir em horário flexível ou home office?

Reforma trabalhista muda relações para o empresário

Flexibilidade entre empresário e trabalhador através da reforma trabalhista

Dartagnan Costa

Advogado OAB/RS 72.784 Diretor na empresa Dartagnan & Stein Sociedade de Advogados, atuando no mercado do Rio Grande do Sul. Bacharel e Mestre em Direito pela Universidade de Santa Cruz do Sul Especialista em Direito Tributário pela Universidade Cândido Mendes Especialista em Direito Empresarial do Trabalho pela Universidade Cidade de São Paulo MBA em Direito da Economia e da Empresa pela Fundação Getúlio Vargas

Deixe uma resposta